sexta-feira, janeiro 02, 2009

PostHeaderIcon A minha avo

Ainda e madrugada aqui nos EUA e eu acabei de receber um telefonema e todo mundo sabe que receber telefonema de madrugada indica que alguma coisa ruim aconteceu.Bem,a minha avo paterna faleceu.Tinha eu acabado de alimentar a Ana Celina e ela tava dormindo nos meus bracos quando o telefone tocou.A minha irma me deu a noticia com a voz embargada e eu fiquei chocada e ao mesmo tempo procurando falar baixo pra nao acordar a minha mae que dormia e ainda dorme no quarto de cima.Desligado o telefone,cai no chao - literalmente - pois, parece que as minhas pernas esqueceram de me segurar.E meu marido veio me levantar perguntando assustado o que houve...
A minha avo,Tida,tinha cancer.Eu disse aqui muitas vezes sobre essa dor quando tudo foi descoberto e que tinham ( os filhos dela ) decidido nao contar nada e assim foi levando a vida ate cair pra viver em cima da cama com enfermeira tomando conta.Ela tinha 80 anos quando sentiu,pela primeira vez, o nodulo no seio e minha tia queria que fizesse cirurgia e tal,mas ela disse que tava muito velha pra fazer mais uma cirurgia,pois tinha acabado de fazer uma pra tirar as pedras nos rins.Mas,os anos foram passando,passando e ela cada vez mais certa sobre nao querer mexer no nodulo que crescia.Quando ficou de cama,nao tinha mais jeito pra fazer nada.Os medicos disseram pra apenas " esperar ".Dois anos se passaram " esperando" o esperado que esperavamos nao acontecer mesmo sabendo que aconteceria.O mais interessante de tudo isso era que ela nunca perguntava sobre o que tinha e/ou afirmava que sabia disso ou daquilo.Ela sentia,via que tinha um cisto que crescia la no seio dela,mas nunca perguntou ou disse o que achava que era.Dona Tida sempre teve medo de morrer.Ela comentava isso desde que me entendo por gente,como dizem por ai.
Vovo e mamae nunca se deram bem.A minha avo,Tida,sempre odiou porque meu pai casou com a minha mae e pra ser sincera,nunca soube a causa desse odio todo pela minha mae.Mas,foi para minha mae que a minha avo recorreu nos seus momentos mais dificeis.Ja cheguei a comentar por aqui ( em 27 de fevereiro de 2005) e agora to copiando aqui pra que vcs leiam:
"AS ATITUDES DETERMINAM AS ALTITUDES QUE ALCANCAREMOS

Quem diria...hoje,pela manha,enquanto eu lia o jornal de domingo,passei a observar a cena que se armava em minha frente no pequenino jardim da casa de meus pais: minha mae e minha avo num entrosamento nunca visto antes.De repente me vieram imagens da minha infancia sobre as duas.A mae de meu pai sempre detestou a minha mae; de graca.Fez de tudo pra infernizar a vida da pobre e ate centro de macumba a velha enfrentou.Digo isso porque apesar de eu ainda nem ter meus 6 anos,me vi frequentando esses terreiros e na epoca eu nem sabia o que era e ja nao me sentia bem nesses lugares.Mamae trabalhava fora e eu e minha irma ficavamos na casa de vovo.Ela sempre nos tratou bem,isso nao nego.Muitas vezes ficava constrangida quando pegava Dona Tida(minha avo)falando mal de minha mae.E a velha ainda tinha a cara de pau de me perguntar se minha mae falava dela tambem.Mas,sempre mantive a descriçao e uma certa neutralidade entre as duas mesmo nao ceitando o comportamento de minha avo.Mas,eu era apenas uma criança.Eu ouvia as coisas sim,mas ficava caladinha,na minha.Nunca fui leva-e-traz!Mamae sempre teve fe de que as coisas um dia mudariam e,por isso mesmo,talvez ela nunca tenha destratado vovo.Agora,mais de 30 anos depois,Dona Tida veio morar bem em frente...e foi ate a minha mae que ela foi quando se viu triste e sozinha.Foi na antiga inimiga que ela encontrou a caixinha de ouro...Veem tv juntas,tomam cafezinho,trocam pratinhos de comida,descançam e conversam sob a sombra da arvore,se dao presentinhos...Coisas de um dia apos o outro.Confesso que fico feliz com esse "hoje" entre as duas.Vejo que o siginificado das coisas nao esta nas coisas em si,mas sim em nossa atitude com relacao a elas.E,como Proust dizia:
"A verdadeira origem da descoberta consiste em nao procurar novas paisagens,mas em ter novos olhos".
E continuei a ler meu jornalzinho bem mais empolgada."
Sempre fui apegada a minha avo e agradeci muito por ela ter cuidado de mim pra que minha mae e meu pai trabalhassem.E vovo sempre me tratou bem.Depois que eu cresci,mudei de cidade e tal,mas nunca esqueci de visitar minha avo.Eu achava estranho as minhas primas e primos so aparecerem la no Natal ou quando era aniversario de alguem,mas...cada um,cada um,ne?Lembro muito da minha infacia com ela!Lembro das viagens que fizemos juntas(ela sempre queria me levar!),lembro de quando ela penteava meus cabelos,da comida que preparava pra gente(eu sempre adorei a sopinha que ela fazia!) e tambem lembro das gargalhadas que demos juntas tantas vezes assistindo Silvio Santos que ela adorava!No fundo,sao essas coisas que contam em nossas vidas.
Hoje nao e um dia feliz porque se foi a minha vovozinha pra um lugar em que a gente nao pode mais se encontrar (eu nao acredito que quando a gente morre a gente vai pra o ceu,mas isso e assunto pra outro dia ).Mas,a minha consciencia esta em paz porque eu fiz a minha parte em retribuir o que me foi dado com carinho e sem pedir em troca.Queria muito estar no Brasil agora,mas as coisas sao como sao e a gente segue assim.Deus sabe o que faz e a gente segue sabiamente lembrando quando disse o Cristo " Amai ao proximo como a ti mesmo".Ele tava certo!Amo voce,Dona Tida!

10 comentários:

Bel disse...

Amiga ,
sinto muitíssimo por vocês , e sinto também pelo "ódio" que vc conta que existia entre elas duas ... Espero que ela encontre agora a paz e a falta de dor ...
Beijos ... E se precisar desabafar , estou aqui .

Vivi disse...

Amiga sei o que é perder avós, eu não tenho as duas, mas as amo muito.
A mãe do meu pai tm não gostava na minha mamy(racismo), mas na hora da morte ela recorreu a minha mãe e ela foi a que deu a mão...Coisas da vida...
Que ela descanse em paz!
Bjokas

Paula DifrANCESCO disse...

Elis, que nesse momento, vc encontre o aconchego de Deus no seu coracao. Paz!


PAULA DIFRANCESCO

Sonho Meu disse...

Na vida, nao temos certeza de nada e a unica certeza que é mais que certa...é que um dia vamos todos morrer. Por mais que saibamos disso, nao queremos aceitar.
Bjs e meus sinceros pesames Elis.Perder uma pessoa querida na nossa vida doe demais.
me

kamila disse...

sinto muito pela sua vo, sei bem como e isso minha vo era minha vida e a perdi tambem infelismente quando era muito nova mas a vida segue realmente que deus te de forca para superar essa dor.
kamila

Hawaii disse...

Elis fia, passei aqui p te desejar um otemo ano novo td cor-de-rosa com tua princesa e teu love.
A foto do papai todo inflado de orgulho de ter uma gatinha no colo tah linda!!! eles ficam babao neh?? hahahaha
sinto muito pela sua vozinha, mas aquela frase: " tao certa como a vida eh a morte" eh a coisa mais certa.
fica c Deus, bj

Meire disse...

Elis, meus sentimentos. Sei que nao è facil, principalmente por estarmos longe.
Ela descansou.
Me recordo sim deste post qdo voce falava das duas.
Fica bem querida, pq ela esta' bem.
Um beijo

Meire

Miss Pittig disse...

Ela está bem, num plano espiritual bem mais elevado que o nosso e sem dores...está descansando.
Fique bem e ame a foto da Ana!!!

Anônimo disse...

Sinto muito, Elis. Deus conforte você e sua família.

Fica bem.

Ana.

Daniely disse...

Lindona,

Sinto muito pela passagem da sua vozinha, sei bem o que eh lidar com a dor da perda de alguem tao importante (tbm ja perdi minhas avos eu uma delas eu via como mae) e sei como eh ardua a vida com cancer (meu pai tem cancer de prostata).
Felizmente tempos antes dela falecer, ela teve a oportunidade de tirar esse odio sem causa( e existe justificativa pra odio?) do coracao dela e viver em harmonia com sua mae.
Beijao grande e fique bem!

Minhas fotos

www.flickr.com

About Me

Minha foto
Elis
Joao Pessoa -, PB e Illinois, United States
Visualizar meu perfil completo
http://meiroca.blogspot.com/. Tecnologia do Blogger.

eXTReMe Tracker

Quote of the Day

more Quotes

Seguidores

Tradutor

Blog Archive

Páginas