quinta-feira, agosto 20, 2009

PostHeaderIcon Como se formam as amizaddes?

" Teresa e Raquel são duas amigas inseparáveis.Elas gostam das mesmas diversões,possuem as mesmas idéias políticas,ambas adoram música popular e seus valores são muito semelhantes.Uma das poucas divergências entre elas é que Raquel tem uma amiga que é detestada por Teresa.Elas evitam falar nessa amiga e Teresa dela não se aproxima.Teresa tem tentado influenciar Raquel a cortar amizade com essa amiga e Raquel,por sua vez,tem se esforçado para mostrar a Teresa que sua amiga não é como ela pensa.Enquanto,porém,nem uma nem a outra obtém êxito em suas respectivas tentativas de mudança de atitude,Raquel e Teresa evitam encontrar-se quando a amiga de Raquel está com ela."



É mesmo muito engraçado e curioso esse fenômeno das amizades e inimizades nas relações .Tava eu aqui lendo "Aroldo Rodrigues" e me deparei com essa observação.Acabei concordando e pude relembrar várias e várias teorias a respeito do assunto.Uma das teorias psicossociais que mais trazem subsídios para o entendimento do fenômeno da atração interpessoal é a tal teoria do equilíbrio (balance theory) do psicólogo austríaco Fritz Heider.Segundo ele,procuramos relações harmoniosas entre nossas atitudes frente a pessoas e a entidades impessoais.Existe uma relação harmoniosa quando gostamos de pessoas e temos pontos de vista em comum,mas também é harmonioso quando não gostamos da pessoa e dela divergimos.A exemplo dessa segunda opção pode ser visto no prazer que temos em elogiar uma obra de arte e em seguida cerificamos que o seu autor é uma pessoa de quem não gostamos.Por outro lado,é desarmonioso e desequilibrado elogiarmos um artigo e depois verificarmos que foi escrito por uma pessoa que não gostamos.
No cenário descrito acima,Teresa e Raquel mantém uma relação interpessoal equilibrada em relação a vários aspectos da mesma ,entretanto,quando surge a amiga de Raquel,de quem Teresa não gosta, a situação fica tensa.Ou seja,quando somos parte de uma situação desiquilibrada,procuramos mudar a situação.Caso isso não ocorra,experimentamos tensão e desconforto.É comum termos amigos que torcem por times de futebol diferentes,pontos de vista político e religioso diferente do nosso.Mas,quando essas situações ocorrem é ideal é que uma das partes envolvidas na relação mude sua posição a fim de que o equilíbrio seja restaurado.Ou talvez até se rompa a amizade para se estabelecer o equilíbrio de outrora.Mas,porém,há outra possibilidade...a diferenciação.É o que consiste em separarmos as coisas da seguinte forma: Gosto muito de fulano,mas quando se trata de política nós somos inimigos e procuramos não falar no assunto.Fez-se,assim uma diferenciação entre a "parte" da pessoa com quem estabelecemos uma relação equlibrada(aquela que partilha de nossos valores e preferências) e aquela outra com a qual nossa relação é desequilibrada e tensa e que,portanto,procuramos evitar.
E,por causa da busca de situações equilibradas que as pessoas procuram associar-se a outras de valores,interesses e preferências semelhantes.Mas,também há outro fenõmeno que contraria o "princípio do equilíbrio".São as situações onde as pessoas se associam as outras que possuem o que justamente lhes falta,ou seja,procuram uma complementariedade na outra.Por exemplo,uma pessoa tímida pricura uma outra extrovertida e desembaraçada,uma pessoa abstrata que sente atração por outra com o "pé no chão" e prática,bem como o caso patológico de um sádico que procura um masoquista.Mas,essas poucas situações não chegam a abalar o tal "princípio do equilíbrio porque,além de serem muito menos frequentes,se estabelecem pelo valor instrumental que essas diferenças ensejam.
A proximidade,por exemplo,leva 2 ou mais pessoas a ficarem próximas uma da outra.O fato de viverem no mesmo prédio,trabalharem no mesmo lugar,pegar todo dia o mesmo ônibus,ginástica,etc.Essa tal proximidade,facilita o conhecimento mútuo,aumentam as interações.Mas,por outro lado,pode também gerar grande hostilidade.Há vizinhos que se odeiam,colegas de trabalho que se detestam e muita gente que frequenta o mesmo lugar e não se fala.Há ditados populares que ora afirmam a proximidade,ora a distância,como indutores de atração interpessoal : "longe da vista,longe do coração" e o moralista francês La Rochefoucauld disse que " a ausência diminui as paixões medíocres e aumenta as grandes,como o vento que apaga as velas e atiça as fogueiras".Como se vê,a sabedoria popular é contraditória no papel que atribui à proximidade no estabelecimento da atração interpessoal.
Muitas vezes,não gostamos de uma pessoa,mas reconhecemos nela alguns pontos positivos,os quais nos causam tensão ,mas não são suficientes para fazer com que passemos a gostar dela.O mesmo acontece com alguém que gostamos.É possível que ,com o decorrer do convívio,situações desequilibradas se formem,isso é passamos a ver nessa pessoa características que não apreciamos.É possível então,que uma pessoa de quem gostamos comece a fazer parte de tantas relações desequilibradas conosco que,progressivamente,essa amizade vai diminuindo e enfim, cessa.

1 comentários:

Adriana disse...

Creio que as amizades se formam:
Carinho
Respeito, um sorriso
Um amigo nunca sera aquele que faz uma lagrima cair mas sim aquele que estará perto para enxuga-las. A base de tudo na vida e sempre respeitar a forma, o jeito de cada um. Tentar dar a formula ideal a um amigo de viver a vida e a melhor forma de perde-lo. Beijinhos carinhosos carregados de energias positivas da sua amiga por agora virtual

Minhas fotos

www.flickr.com

About Me

Minha foto
Elis
Joao Pessoa -, PB e Illinois, United States
Visualizar meu perfil completo
http://meiroca.blogspot.com/. Tecnologia do Blogger.

eXTReMe Tracker

Quote of the Day

more Quotes

Seguidores

Tradutor

Blog Archive

Páginas